Vinhos do Brasil, vamos acordar?

Esta semana por um acaso do destino fui parar pela primeira vez em um dos restaurantes da rede americana Applebee’s.
Fundada em 1980 na cidade de Atlanta, estado da Geórgia, hoje espalhada em vários lugares do mundo.
Mas não estou aqui para falar desta rede, mas da promoção que eu vi nela.
Acreditem, um mix de 3 “caipirinhas” se é que podemos chamar assim, feitas de vinho branco.
Logo me bateu uma curiosidade, que vinho será? Infelizmente da Concha y Toro, não que eu tenha algo contra esta vinícola, mas bem que podia ser vinho brasileiro.

Applebees_caipirinha

Sempre me impressionou o profissionalismo e o poder que os vinhos chilenos exercem no mundo. Para se ter uma idéia, em uma viagem à Londres, dois anos atrás eu presenciei em quase todos os pub’s os vinhos da Concha y Toro. Aliás, não só nos pub’s, inclusive eles patrocinam um time de futebol inglês, que é a terra do uísque.

E aqui no Brasil? O que fazemos? Que medidas temos para uma maior penetração do vinho nacional para o consumidor interno?
Não serei de todo injusto, mas vi uma ação isolada por exemplo de uma grande vinícola com uma rede de chocolates, achei interessante.

Não venham com essa de dizer, que a rede de restaurante é franquia internacional e por este motivo colocam o vinho de fora, isso não é verdade!
Por que não fazer uma ação como esta no verão e desmistificar um pouco esta “cultura do vinho” e lançar uma promoção de “caipirinhas” de vinho?

Para a minha surpresa, parece que estão mais interessados na minissérie da Globo, onde degustar é a arte de provar vinhos e “comer” mulher.
É só olhar os comentários nas redes sociais!
A Rede Globo lá está interessada em divulgar o vinho nacional? Ela quer os 29 pontos de audiência do Ibope que teve na estréia.
Acreditam que isso vai trazer algum retorno?
Mostrar um casarão bonito no meio do nordeste e uns parreirais, isso é divulgar o vinho nacional?
Vai lá que venda “meia dúzia” de garrafas a mais, e por obra do destino será chileno. Aliás a grande maioria dos brasileiros só conhece vinho chileno e argentino.
Puxando pela memória, a Globo já fez isso com o Prosecco em uma novela e ai?
Qual o retorno disso?
Deve ter vendido algumas garrafas daqueles Proseccos italianos de segunda que vem ao Brasil e que não chegam nem perto de alguns dos nossos espumantes.
Tudo isso é modismo, é futilidade.
Tá bom, o povo quer ver isso, mas entre ver e comprar, há uma grande diferença.

Não precisamos deste tipo de imagem!
Querer pegar carona, neste tipo de abordagem vejo que não é o melhor caminho.
O vinho brasileiro precisa sim, dizer ao seu povo que ele existe, que é bom e que podemos pagar um preço justo.
Precisa de medidas que incentivem o enoturismo, como por exemplo o investimento em infra-estrutura na região e uma maior divulgação.

Não precisamos de minisséries, mas de medidas políticas, que incentivem colocar o vinho na mesa de cada brasileiro.

Pense nisso!

E viva o país do infinito carnaval….

Texto e Edição: Evandro Silva

8 comentários sobre “Vinhos do Brasil, vamos acordar?

  1. Cem por cento de acordo. Nos e que temos de valorizar o nosso vinho, o Brasil. Mas sao poucos que pensam como eu, vc, e meia duzia de apaixonados pelo vinho brasileiro, nao porque e brasileiro, mas porque e bom mesmo, e especial.parabens pelo texto e por dar voz, a minha indignacao com a indiferenca digamos assim, com que e visto nosso vinhos. Abraco.

    Curtir

    1. Veronica, José Carlos, Cicilia e Giovanni,

      Muito obrigado pelos comentários e por gostarem do post. Concordo com vocês que devemos valorizar o vinho nacional, mas iniciativas iguais a esta são desnecessárias e não ajudam em nada.

      abraço,
      Evandro Silva

      Curtir

  2. Tem todo o meu apoio. Eu também sou fã do vinho nacional e sempre que viajo para outros países (onde vou encontrar conhecidos) eu levo umas garrafas de Lote43 ou outro vinho diferenciado. É interessante a reação dos gringos. Muitos simplesmente não sabem que o Brasil produz vinhos potáveis. Evidentemente eu também trago vinhos das minhas viagens, mas acho importante a contrapartida. Abraços e Parabéns.

    Curtir

  3. Evandro , gostei muito do seu comentario sobre a mini serie da Globo , nao entendi qual o motivo de terem escolhido uma vinicola para o pano de fundo da serie , o brasileiro nao toma e nem gosta de vinho , conhecem o Chapinha suave e acham que conhecem vinhos.A Globo poderia divulgar os bons vinhos que temos, explorar mais as viniculas brasileiras do sul e do nordeste e se preocupar menos com os maridos chifrudos e prostitutas disso todo brasileiro entende , vamos levar nossos maravilhosos espumantes para o mundo inteiro…Parabens pelo belo texto…cicilia c. karut

    Curtir

  4. Caro amigo Evandro, tens toda a razão e teu post está dez! Tem gente que não gosta de ouvir verdades, muitos produtores e certamente a Ibravin, porém há tempos que minhas criticas sobre a produção nacional estão centradas exatamente nesse contexto. Saber fazer vinhos já sabemos e certamente iremos melhorar mais ainda, porém o calcanhar de Aquiles está exatamente aí, a falta de qualidade na questão de estratégias comerciais, marketing ruim e falta de investimento, sem contar o eterno problema da precificação! Abraço e parabéns pelo texto.

    Curtir

  5. Salvo raras exceções como, por exemplo, a Aracuri uma das gratas surpresas do ano que passou e alguns produtores, independentes, de espumantes como Geisse e Lona..

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s